Até mais ver: Fevereiro 2015

terça-feira, fevereiro 17, 2015

Capítulo VIII - A outra metade

A princípio, após a tão esperada chegada ao castelo flutuante as coisas parecem calmas, apenas uma chuva constante recepciona nossos heróis. Morran utiliza-se de sua visão privilegiada e alerta a todos que o portão do castelo está aberto, então a caminhada em direção ao desconhecido começa. A marcha não é tão longa e logo todos estão sob a proteção do teto do castelo, a primor nossos viajantes se assustam com as dimensões do salão principal, a imagem é fúnebre, poucos castiçais iluminam o ambiente e no centro há uma grande estátua de um homem de expressão séria, vestes reais apoiado em um cetro. Scarlet diz que devem procurar por um amuleto que é o responsável pelo controle do castelo e seus misticismos, ela sugere a separação do grupo para cobrir todo o castelo e alerta para que ninguém entre na sala situada no topo da torre central do castelo. Desconfiado, Steve a questiona: 
Steve Maxpower – Como sabe de tudo isso?
O dragun mostra desconfiança nas palavras de Scarlet e alerta os demais:
               Raziel – Espere! Você sabe muito sobre este castelo.
A princesa olha-o com desdenho e quando se vira para continuar seu caminho é interrompida ao ser segurada no braço pelo meio dragão.
                Raziel – Explique!
               Scarlet – Eu não preciso explicar nada a você.
                Lister Storm – Mas vai explicar pra gente!
Após a afirmação de Lister Storm, todos se armam e cercam Scarlet aguardando sua ação. Ela então concorda e começa a explicar.
 Scarlet – Este castelo existe há muito tempo e já teve inúmeros comandos e raças. Em um passado distante foi dominado por uma feiticeira que lançou um feitiço para a proteção do castelo: “Todo rei ou rainha que perder o comando do castelo flutuante ficará preso em seus domínios e deve lutar para impedir que outro rei caia.”. Desde então o castelo trocou poucas vezes de governantes, mas cada vez que essa troca ocorre fica mais difícil de acontecer novamente. Geralmente o novo rei do castelo expulsa todos os habitantes e traz seus conterrâneos para sua nova moradia.
A princesa informa que os atuais moradores do castelo são vampiros, uma raça que se imaginava extinta. Ela conta que não basta eliminar o atual rei para controlar o castelo, o novo rei deve estar de posse do amuleto de Kiramui. Muitos reis ao perder o controle do castelo procuram o caminho do suicídio, não imaginado que é um ato em vão. 
A ganância de Steve Maxpower desperta e ele toma a frente do grupo.
 Steve Maxpower – Vamos encontrar logo este amuleto, quantos guerreiros eu terei que derrotar?
              Scarlet – Não é certo, mas temos dois caminhos para chegar ao amuleto.
Scarlet refere-se a duas escadarias de lados opostos, o grupo então decide que a melhor opção é se dividir, pois não sabem qual o caminho mais rápido ou fácil, se é que existe facilidade neste castelo. Para um dos lados vão Scarlet, Steve Maxpower, Morran e Mel, para o outro lado vão Lister Storm, Skalla, Shin Yugoth e Raziel, todos sem saber o que os aguarda.

A primeira impressão do grupo do Maxpower é que estão diante de um corredor vazio,  enquanto caminham a princesa pede atenção. Sussurros, alguns gemidos de dor e sofrimento e o eco fazem deste corredor iluminado a velas um ambiente bastante assustador, apenas uma porta ao seu final leva um pouco de calma aos guerreiros. Do mesmo modo encontra-se o corredor para onde foi Skalla e seu grupo. Assim que chegam frente à porta ela se abre revelando uma grande sala acinzentada, após a entrada a porta se fecha, ela não tem abertura pelo lado de dentro. Morran avista outra porta do lado oposto do salão cercada
por duas estatuetas de gárgulas, todos percebem também um odor diferente chegando, Maxpower afirma com desconfiança ser enxofre.  Ao caminhar em frente, são surpreendidos por um tremor, da boca das estatuetas começa a jorrar lava vulcânica formando uma grande poça frente à porta. O tremor cessa, mas a lava não para de cair, curiosamente a poça não aumenta seu tamanho, era como estar enchendo um grande buraco. Mel indaga os demais sobre como irão passar por aquela porta, o tremor volta desequilibrando os guerreiros.
                Morran – Olhem!
É quando surge da lava uma mão que se agarra ao chão fora poça e começa a se erguer, logo outros aparecem, suas formas são de guerreiros com a cabeça de cães e olhos de lava armados com uma espada larga e curva, serrilhada na parte de trás, no total aparecem quatro seres com aproximadamente 2,5 metros de altura. A primeira a tomar uma atitude é Mel que lança um enxame de abelhas de sua cartola na direção dos demônios, o que parece não surtir efeito, pois as abelhas acabam morrendo ao tocar a pele quente dos monstros.
                Mel – Acho que não serei útil nesta luta.
               Morran – Pode deixar comigo!

Morran toma a frente em um ato de pura coragem, mas sem nenhum aviso um dos cães salta em sua direção com a espada empunhada sobre sua cabeça, Morran afasta-se para trás no último momento antes de receber o golpe, o monstro crava a espada no chão, seria provavelmente um ataque fatal ao anão. Os demais demônios avançam e a batalha começa. Maxpower com sua espada em chamas troca golpes com dois deles, Morran aproveita a vantagem que seu tamanho lhe proporciona e ora esquiva dos golpes, ora defende-se com o martelo e por vezes também tenta atacar, ambos quando acertam percebem que ao ferir o corpo do inimigo escorre lava. O quarto demônio segue em direção à Scarlet que logo mostra sua força com ataques muito velozes, quase não se vê a movimentação da dama, o que se vê é o monstro girar e os ferimentos causados pelos golpes. Maxpower atravessa sua espada na altura do estomago de uma das feras e com um movimento quase acrobata ergue sua arma cortando-o ao meio e logo atingindo a espada do outro que vinha por trás, a luta de espadas  continua, o cabeludo recebe um corte no braço quando tentava um ataque à cabeça. O adversário do anão se prepara para outro ataque violento partindo com sua espada de cima para baixo, Morran percebe o movimento e desvia-se em diagonal, ele se vê abaixo do queixo, um dos únicos momentos que o monstro ficou vulnerável, o pequeno lança um ataque de baixo para cima atingindo e arrancando a cabeça do demônio. Scarlet elimina seu adversário com facilidade, com um movimento brilhante Steve arranca o braço que empunhava a espada, o cão ainda tenta ataques com o braço que sobrou, mas fica deveras vulnerável e não demora a ser cortado ao meio. 
Com os inimigos derrotados a lava para de cair da boca das estátuas e a poça frente à porta seca deixando o caminho livre para nossos aventureiros.
O grupo da mulher tigre chega à porta, mas diferente de seus companheiros a porta não se abre, ao invés uma proteção verde brilha protegendo-a. Raziel tenta atacá-la, mas nada acontece.
 Shin Yugoth – Magia só se derrota com magia, eu tenho a coisa certa, dizendo “Pirlimpimpim” nós abriremos esta proteção e a porta.
Shin Yugoth procura o artefato que descreveu por todo seu corpo, mas não encontra, é quando Lister Storm estica seu braço na direção da porta, em seu dedo um anel com formato de sol.
                Shin Yugoth – Ei, espere!
                Lister Storm – Pirlimpimpim!
Não adiantou o oriental tentar impedir o bobo. Inusitadamente Lister é lançado contra a porta, o anel se choca com o campo de força eliminando-o e o corpo Lister Storm arrebenta a porta. Ainda com o bobo ao chão Shin indaga:
               Shin Yugoth – Como você pegou este anel sem eu perceber?
               Lister Storm – Não sei do que está falando, achei este anel no vilarejo.
              Shin Yugoth – Bom, não importa, pelo que vejo você fará melhor uso dele mesmo.
                Lister Storm – Ei, não vão me ajudar?
Todos passam por Lister Storm e continuam a caminhar deixando o bobo no chão, apenas Aruk fica e oferece auxílio, Storm olha para o tigre desconfiado e com medo, mas se apoia no felino e se levanta.
A sala que se encontram não tem qualquer semelhança com a sala anterior, parece até que saíram do castelo e estão em um grande jardim, muito verde, céu azul, pássaros voando e cantando, flores de diversos tipos, cores e tamanhos, um unicórnio se alimentando da grama e um caminho de tijolos brancos adentrando ao paraíso, Aruk abre o caminho e leva os guerreiros à frente. Ao longe, três pequenos dragões repousam interrompendo a travessia, mas apesar das caras de poucos amigos eles aparentam não representar ameaça e pouco se importam com a presença dos desbravadores do castelo, Aruk passa imponente, Skalla vêm logo atrás, os demais passam um pouco mais tímidos, até mesmo Raziel sendo meio dragão teme uma batalha com seus semelhantes. Há alguns metros à frente um paredão de rochas parecendo não ter fim interrompe o caminho, o que parece ser uma porta de pedra com a imagem da cabeça de um dragão tem no lugar dos olhos e na boca um brilhante negro, Storm logo enche seu peito de orgulho e pede para os demais se afastarem para ele utilizar o anel, a cena é cômica, o bobo da corte se arrebenta ao ser arremessado contra a porta, Yugoth aproxima-se da porta e constata que a mesma não sofreu se quer um arranhão. Uma voz sai do meio da mata alertando-os:
               Voz – Vocês não vão abrir essa porta!
Nossos guerreiros se viram para a voz e avistam uma mulher com um arco em suas mãos, com os cabelos curtos, olhos pequenos e orientais ela salta de um galho se posicionando atrás dos demais.
Sarah – Meu nome é Sarah e estou aqui para impedir vocês.
Raziel – Você não precisa se machucar, abra essa porta!
A arqueira vai em direção ao dragun em uma grande velocidade e o atinge utilizando seu arco como arma lançando-o para longe, o tigre Aruk salta em ataque, mas com um movimento giratório também é golpeado pelo arco, nossa Atalanta ao ver seu amigo machucado vai para cima de Sarah que arma seu arco com uma flecha e sem demora atira na direção de Skalla, a flecha ao sair do arco ganha uma chama verde ao seu redor, Skalla consegue esquivar se jogando para o lado, a flecha atinge um tronco de árvore e logo começa a brotar uma planta cipó e envolvê-lo, o próximo alvo da Sarah é Shin Yugoth, a flecha atinge a mochila do bigodudo e logo os cipós o envolve deixando apenas a cabeça de fora, Sarah salta para cima do enrolado Shin e
prepara seu golpe fatal com seu arco na única parte à mostra, mas algo a faz parar ao olhar nos olhos do também oriental, Lister Storm não se importa com o momento e lança um golpe perfeito com sua bola de espinhos atingindo e ferindo-a gravemente, o bobo comemora com uma dança pra lá de esquisita. Logo após, ele vai até Yugoth para libertá-lo das amarras utilizando a outra ponta da corrente, Shin Yugoth revela ao sair de sua prisão que Sarah é na verdade sua irmã perdida, todos vão até a arqueira ferida.
               Shin Yugoth – Irmã? Precisamos abrir aquela porta.
               Sarah – Não sei do que está falando.
              Shin Yugoth – Você sabe sim, por isso não me matou. Vem com a gente.
               Raziel – Está maluco?! Ela nos atacou.
A mulher-tigre interrompe afirmando que Sarah pode acompanhá-los desde que abra a porta.
              Sarah – Não sou eu que abro a porta, para abri-la é necessário matar os dragões.
 Lister Storm – Todos os três? Nós podemos negociar, matamos esse meio dragão e em troca você abre a porta, ele é um príncipe!
Enquanto todos riem, Raziel o empurra resmungando da solução dada por Storm.
               Sarah – Não há alternativa.
Após isso, os heróis voltam pelo caminho de tijolos, Aruk está mancando e Raziel ferido. Logo eles voltam a avistar os dragões na mesma posição de antes. Shin ficou com Sarah.
Já em Armindra, a situação se agravou quando rente aos muros da cidade uma barreira de magia fecha a cidade em uma cúpula alaranjada, moradores, guardas reais e viajantes que tocaram no feitiço foram terrivelmente desintegrados sobrando apenas as vestes e armaduras.  Alguns moradores alertam os demais ao ver o feiticeiro Homerus a fazer seus feitiços na praça central para tentar eliminar a cúpula e logo se forma um circulo a sua volta.
No castelo, o grupo de Morran entra em um salão coberto por neve e gelo, sem cerimônias Altros surge do chão de gelo e se apresenta.
              Altros – Vocês não passarão daqui! Sou Altros, príncipe guardião do templo de Raz.
Altros tem barba e cabelo completamente brancos e curtos, veste uma roupa de guerreiro com um manto de príncipe, tudo em azul e branco, com músculos fortes à mostra e empunhando uma espada de gelo cheia de pontas.
Morran – E como protege o templo estando preso neste castelo?
 Altros – Não estou preso, aqui guardo um portal que se abriu após a vinda dos quatro santos, mas vocês já sabem disso, estão aqui para invadir o templo.

Ele está convencido que o objetivo do grupo é invadir o templo de Raz, e mesmo após todas as explicações nada mudou seu pensamento e o confronto é inevitável. Maxpower inflama sua espada e faz movimentos de apresentação, será um duelo interessante, gelo contra fogo. A iniciativa é do homem de gelo, ele segura sua espada com uma mão no cabo e a outra na lâmina e logo surge do chão um grande iglu prendendo o grupo de guerreiros, logo Morran abre uma passagem com seu martelo libertando os demais, porém Altros os esperava e quando a passagem se abriu ele apontou a espada contra os guerreiros fazendo-a aumentar e
atingir o anão, o ferimento no pequeno é grave, Mel lança um enxame de abelhas contra seu oponente, não são tão eficazes, as que não morrem
com o frio acabam apenas conseguindo incomodar Altros, Scarlet vai para o confronto corpo a corpo beneficiando-se de sua velocidade, mas para ao bater contra um muro de gelo, Altros se aproveita que a princesa fica no chão e corre até ela segurando seu braço e a congelando.
               Steve Maxpower – Parece que seremos só nós dois.
 Altros não recua e ataca Steve Maxpower com pregos de gelo que saem de sua mão, o cabeludo se protege acertando os pregos com sua espada, mas seu adversário muda sua tática e parte para cima de Steve que ainda se defende dos pregos, Altros busca agarrar Maxpower para então congelá-lo, só que ao perceber sua aproximação Maxpower salta em rodopio com sua espada empunhada, ele gira em alta velocidade formando a sua volta um arco de fogo cortante, o golpe não atinge Altros por muito pouco fazendo-o pular para trás, agora é o cabeludo que vai para cima do congelado, eles então iniciam um confronto de espadas e a cada encontro de suas armas um pequeno raio se forma entre as lâminas encantadas.
Na outra sala, Sarah está prestes a ficar sem forças.
               Shin Yugoth – O que posso fazer por você?
               Sarah – Mate-me logo e acabe com meu sofrimento!
              Shin Yugoth – Você deve estar delirando, não posso fazer isso.
A batalha com os dragões começa após Lister Storm arrancar um tijolo do caminho e lançá-lo, após acertar um dos dragões Lister aponta para Raziel incriminando-o. Raziel olha para o bobo com desdenho, sem dizer nada ele salta em direção aos dragões que revidam lançando rajadas de fogo, o meio dragão desvia dos ataques e acerta um forte golpe em um dos animais, os outros começam a pressionar o príncipe tentando mordidas, golpes com a calda e arranhões, Schalla entra na briga chicoteando, prendendo e arremessando outro contra uma árvore, Lister Storm também tenta ajudar e joga outro tijolo, desta vez ele acerta Raziel. A tigresa consegue prender um dragão pelo pescoço com seu chicote, ela salta por cima de um galho de árvore e puxa com força levantando o dragão do chão formando uma forca, o dragão começa a sufocar, suas garras não alcançam o chicote para cortá-lo, mas logo o chicote fica frouxo, Scalla olha para o dragão que está voando, ela então puxa derrubando-o violentamente, a atalanta pega sua adaga e crava no pescoço do animal atordoado,

enquanto o sangue jorra e a vida se esvai, Raziel duela em meio a chamas lançadas pelos demais, aproveitando-se da situação Lister Storm lança-se às costas de uma das feras que decola em voo e com rasantes tenta desequilibrar o bobo que, apesar da expressão de preocupado parece se divertir, agora Raziel está enfrentando de igual para igual o dragão que avança, o aventureiro desvia-se e agarra a calda do monstro que também tenta voar, mostrando sua força Raziel arremessa o dragão contra o chão e domina-o com um mata-leão, o dragão luta mas acaba morrendo sufocado. Do dragão sai uma pequena luz branca que fica flutuando por onde acontece a batalha. Storm enrola sua corrente no pescoço do outro dragão e aperta por um tempo sem efeito, depois ele desiste do estrangulamento e com sua bola de espinhos começa a bater na cabeça do animal, o dragão cai e agoniza esperando o golpe fatal de Storm que não falha, agora são duas pequenas luzes a flutuar, a terceira não demora a aparecer do adversário de Skalla, as três luzes começam a girar e vão na direção de Sarah, elas entram no corpo da arqueira e logo saem trazendo consigo uma luz negra, após isso Sarah é petrificada e as luzes vão na direção da porta, cada uma entra em um orifício e ganham um brilho intenso até que a porta sobe deixando o caminho livre para nossos guerreiros.

               Skalla – Vamos!
               Shin Yugoth – Não posso deixá-la.
               Lister Storm – É uma pedra! Venha, eu levo esta pequena pra você.
 Skalla – Ela não vai sair daí, vamos resolver nosso problema e depois voltamos buscá-la. Yugoth se é convencido pelos demais a seguir em frente.

Buscando um meio de acabar com o confronto Steve Maxpower ainda duela com Altros, Mel resolve ajudar e lança um enxame de abelhas mesmo sabendo que não teria grande efeito, as abelhas incomodam o guerreiro de gelo que para se defender abre um pequeno espaço entre Steve e ele e crava sua espada no chão fazendo subir uma nevasca que mata as abelhas e logo se torna uma parede de gelo, só que Maxpower foi mais rápido, Altros percebe que sua proteção está derretendo com a espada de Steve atravessada, ele segue seu olhar através da lâmina flamejada que termina cravada em sua barriga, Steve Maxpower não mostra piedade e inflama ainda mais sua espada fazendo com que uma rajada de fogo incendeie o corpo de Altros que, ainda preso pelo golpe não consegue escapar. Com uma chuva de cristais cintilantes a cobrir todo o cenário o gelo começa a desaparecer, Steve retira sua espada e Altros logo para de pegar fogo e também é petrificado e Scarlet é descongelada. A sala se torna uma sala comum deixando a impressão de que tudo era ilusão, uma escadaria logo a frente é o caminho dos guerreiros, mas Morran não consegue prosseguir e Mel se disponibiliza a ficar com o pequeno, então seguem Scarlet e Maxpower. 






quarta-feira, fevereiro 04, 2015

Diário de Bordo - Capítulo 1 de uns outros tantos (temp)

Respeitáveis senhoras, senhores e demais prezados... Interrompendo extraordinariamente este hiato que carinhosamente chamamos de blog e com o intuito de começar uma série nova. E que seja como o meus empolgados amigos quiserem, mas apenas se Deus assim o permitir.

Dia 1 - Parte 1: O nobre esporte da dialética

Nossos 3 de nossos aventureiros e o mr. Poneis

O dia começou como tantos outros, embora para variar com um mr. Poneis mal dormido porque estava ansioso... nestes tantos anos de amizade com o pessoal, quando eu não tinha uma boa desculpa, acompanhei-os para muitos lugares, parques de diversões, eventos de anime, bairros exóticos, museus e até shows do Paralamas do sucesso... Viagens memoráveis, vocês que me digam, mesmo assim nunca me acostumei com a ansiedade pré viagem... minha mente processa de um tudo, mas infelizmente você não coa nada que sirva para uma boa história.